SEJA BEM VINDO(A)!

Espero que este blog possa abençoar a sua vida! Um grande abraço.

terça-feira, 9 de junho de 2015

ATENÇÃO E CONCENTRAÇÃO

Diferença entre atenção e concentração A atenção é a capacidade que temos de focalizar um objeto ou grupo de objetos externos(sensoriais) ou internos (pensamentos) que aparecem aos nossos sentidos. Esse processo é indispensável para que os dados a serem salvos no banco de memórias sejam isolados e enviados ao processo de gravação. Por meio da atenção, dedicamos nossos esforços e energia intelectual para o alvo escolhido e eliminamos tudo aquilo que não se relaciona diretamente ao nosso desejo. (http://pt.wikipedia.org/wiki/Aten%C3%A7%C3%A3o) A atenção é geralmente definida como nossa habilidade de seletivamente focar em uma coisa, ideia ou tarefa enquanto filtramos as outras distrações. Outra forma de descrever a atenção é concentração seletiva. Atenção é a função do nosso cérebro que aloca corretamente nossos recursos de processamento. (https://www.superaonline.com.br/blog/template_permalink.asp?id=119) CONCENTRAÇÃO A concentração mental é um processo psíquico que consiste em centrar voluntariamente toda a atenção da mente sobre um objetivo, objeto ou atividade que se este fazendo ou pensando em fazer em esse momento, deixando de lado toda a série de fatos ou outros objetos que podem ser capazes de interferir com sua realização ou atenção. Concentração e estudos A concentração é especialmente importante para o processo de ensino. Daí que se intente por todos os meios aumentar esta capacidade que é essencial para a aquisição de novos conhecimentos. Sobre este ponto, a Psicologia da Educação fez importantes observações e contribuições. Além disso, a concentração mental é usada em quase todos os esportes individuais (ginástica, tênis, xadrez, etc), que ajuda ao executor a enfocar se em ações que estão sendo desenvolvidas. Patologias de concentração A concentração pode ser prejudicada ou mesmo completamente bloqueada por transtornos, doenças e / ou comportamentos de vários tipos. A síndrome que mais bloqueia a capacidade de atenção - concentração de um sujeito é conhecida como Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade. A doença que mais afeta a capacidade de atenção de uma pessoa é a drogadição, especialmente com o consumo de droga com a capacidade de relaxamento, como oCannabis Sativa. [carece de fontes] A conduta que mais afeta a atenção de um sujeito é a motivação. O fator sentimental ou humor afeta a atenção sobre as atividades, é a depressão. ((http://pt.wikipedia.org/wiki/Concentra%C3%A7%C3%A3o_mental)

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Resposta a Thiffany Santos

Boa tarde Thiffany, respondendo a sua pergunta, há uma coleção do MEC sobre o AEE, e nela você vai encontrar muita informação sobre as SRMs, Também neste blog, em páginas anteriores encontrará uma Lei que regula esse atendimento em todo o território nacional. Procure nas páginas do MEC on line que com certeza há informações sobre as Salas de Recursos Multifuncionais. Tenho alguns livros mais não em PDF a nível municipal.

terça-feira, 2 de junho de 2015

Diversas Deficiência, vídeo excelente.

Pessoal descarte a parte inicial do vídeo abaixo com o professor Luís, pois são recomendações do curso Portas Abertas Para a inclusão, mas assistam com atenção a 3ª parte desse vídeo esclarecimentos importantes sobre todas as deficiências.

Aula 9 - Educar na diversidade: características das deficiências

Resposta para Maura

Prezada colega Maura, você me pediu modelo de plano de aula. Dê uma olhada nas outras páginas do blog que encontrará modelo de plano de aula, pois já postei anteriormente. Obrigada por sua visita. Um grande abraço. Mais veja algumas dicas abaixo: Coloquei em uma tabela contudo o formato do blog não aparece a mesma. Plano de AEE 01-Nome do aluno 02-Dia/hora 03-Necessidades a ser trabalhada 04-Atividade a ser realizada 05-Técnica utilizada ou material utilizado 06-Avanços e dificuldades apresentada 07- Registro dos avanços e dificuldades Esse plano foi criado por mim, você pode e deve criar o seu dentro de sua visão de trabalho e de acordo com os seus alunos. Bom trabalho.

segunda-feira, 23 de março de 2015

COMO CHAMAR AS PESSOAS QUE TÊM DEFICIÊNCIAS - PcD

Os movimentos mundiais de pessoas com deficiência, incluindo os do Brasil, estão debatendo o nome pelo qual elas desejam ser chamadas. Mundialmente, já fecharam a questão: querem ser chamadas de “pessoas com deficiência” em todos os idiomas. E esse termo faz parte do texto da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, adotado pela ONU em 13/12/06, ratificado, com equivalência de emenda constitucional, através do Decreto Legislativo n. 186, de 9/7/08, do Congresso Nacional; e foi promulgado através do Decreto n. 6.949, de 25/8/09. Eis os princípios básicos para os movimentos terem chegado ao nome “pessoas com deficiência”: 1. Não esconder ou camuflar a deficiência; 2. Não aceitar o consolo da falsa ideia de que todo mundo tem deficiência; 3. Mostrar com dignidade a realidade da deficiência; 4. Valorizar as diferenças e necessidades decorrentes da deficiência; 5. Combater eufemismos (que tentam diluir as diferenças), tais como “pessoas com capacidades especiais”, “pessoas com eficiências diferentes”, “pessoas com habilidades diferenciadas”, “pessoas deficientes”, "pessoas com disfunção funcional", “pessoas especiais”, “é desnecessário discutir a questão das deficiências porque todos nós somos imperfeitos”, “não se preocupem, agiremos como avestruzes com a cabeça dentro da areia” (i.é, “aceitaremos vocês sem olhar para as suas deficiências”); 6. Defender a igualdade entre as pessoas com deficiência e as demais pessoas em termos de direitos e dignidade, o que exige a equiparação de oportunidades para pessoas com deficiência, atendendo às diferenças individuais e necessidades especiais, que não devem ser ignoradas; 7. Identificar nas diferenças todos os direitos que lhes são pertinentes e a partir daí encontrar medidas específicas para o Estado e a sociedade diminuírem ou eliminarem as “restrições de participação” (dificuldades ou incapacidades causadas pelos ambientes humano e físico contra as pessoas com deficiência). Conclusão A tendência é no sentido de parar de dizer ou escrever a palavra “portadora” (como substantivo e como adjetivo). A condição de ter uma deficiência faz parte da pessoa e esta pessoa não porta sua deficiência. Ela tem uma deficiência. Documentos do Sistema ONU 1990 – Declaração Mundial sobre Educação para Todos (Unesco). 1993 – Normas sobre a Equiparação de Oportunidades para Pessoas com Deficiência (ONU). 1993 – Inclusão Plena e Positiva de Pessoas com Deficiência em Todos os Aspectos da Sociedade (ONU). 1994 – Declaração de Salamanca e Linhas de Ação sobre Educação para Necessidades Especiais (Unesco). 2001 – Classificação Internacional de Funcionalidade, Deficiência e Saúde (OMS), [que substituiu a Classificação Internacional de Impedimentos, Deficiências e Incapacidades, de 1980]. 2004 – Declaração de Montreal sobre Deficiência Intelectual (OMS-Opas). 2004 – Declaração sobre o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência (OIT). 2006 – Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e Protocolo }Facultativo à Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (ONU), [adotados em 13/12/06 pela Assembleia Geral da ONU; ratificados e incorporados à Constituição do Brasil através do Decreto Legislativo 186, de 9/7/2008, e promulgados pelo Decreto 6.949, de 25/8/2009]. FONTE: CURSO PORTAS ABERTAS PARA INCLUSÃO TEXTO DO CONSULTOR DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA - ROMEU KAZUMI SASSAKI.